Logo | Cursos SENAI Rio



     Escolha um tipo de Curso


    Não há disponibilidade de curso para este período.
 

Segmento Design

Antes de escolher um curso do SENAI Rio, conheça melhor este segmento

O design é utilizado transversalmente no desenvolvimento de produtos, na resolução de problemas sociais e na reconfiguração de serviços, espaços e cidades. Seu objetivo é despertar desejo e mapear necessidades para desenvolver soluções que gerem significado e impactem de forma positiva a vida das pessoas, por isso seu caráter estratégico.
Por ser uma atividade técnica criativa com foco no usuário, o design vem conquistando cada vez maior relevância, pois através do entendimento desse usuário, consegue propor respostas às mudanças econômicas, tecnológicas, sociais e demográficas que influenciam tanto o comportamento do consumidos como remodelam os mecanismos de produção, distribuição e comercialização.
Assim, o design agrega não somente beleza mas também, e principalmente, pensa soluções às questões primordiais da evolução do ser humano, como o envelhecimento da população, que requer produtos adaptados; a redução do tamanho das famílias que demanda móveis multifuncionais para espaços menores; a reordenação dos espaços urbanos através de traços mais funcionais de praças, pontos de ônibus ou mesmo cestos de lixo. Para consumidores cada vez mais movidos por preferências individuais de gostos e estilos de vida, o design é capaz de transformar atividades rotineiras, como tomar café, dirigir ou se vestir em experiências única. De fato o design é o segmento mais transversal e multidisciplinar dos segmentos criativos e está presente, direta ou indiretamente, na Moda, TICs, Audiovisual, Artes, entre outros.
Na indústria, o design tem papel fundamental como uma das ferramentas aplicadas desde a fase de concepção de um produto ou serviço, a fim de agregar valor a ele, e ainda gerar um ciclo de vida pensado sustentavelmente. Na prática, os resultados são produtos e serviços mais fáceis de fabricar, mais econômicos, mais úteis, mais fáceis de interagir, desejados pelas pessoas, entre outros.
Aplicável a praticamente qualquer setor industrial, o design é uma ferramenta importante para quem atua em qualquer fase do processo criativo e produtivo, proporcionando uma visão mais ampla destes processos.

Como é o mercado deste segmento no Rio?

Nas últimas décadas, as empresas não só passaram a reconhecer a importância da criatividade como insumo de produção, como também perceberam seu papel transformador no sistema produtivo.

De maneira geral, as profissões criativas demandam elevado grau de formação, contribuindo para geração de produtos de alto valor agregado. Além disso, a meritocracia é um fator muito valorizado entre as profissões criativas, pois estas privilegiam o trabalho movido a desafios e estímulos (FLORIDA,2011).

Designers são profissionais responsáveis por desenvolver os modelos e projetos de diversos produtos e serviços. Um carro, uma torneira, um móvel ou um protótipo ortopédico ganham maior valor e funcionalidade sob a visão especializada de um profissional de design. Bastante numerosos, respondem por quase um quinto dos profissionais criativos da Indústria de Transformação (17,1%).

Dados referente aos empregos formais e salários na área criativa no período de 2004 a 2013 no segmento de:

o Publicidade - o emprego em 2004 foi de 45,7% e em 2013 154,8% com a alta de 238,5%, os salários em 2004 foi de R$ 5.701 e em 2013 de R$ 5.075 com a queda de -11%;

o Arquitetura - o emprego em 2004 foi de 62,7% e em 2013 124,5% com a alta de 98,5%, os salários em 2004 foi de R$ 5.354 e em 2013 de R$ 6.927 com a alta de 29,4%;

o Design - o emprego em 2004 foi de 42,6% e em 2013 87,0% com a alta de 104,3%, os salários em 2004 foi de R$ 2.556 e em 2013 de R$ 2.760 com a alta de 8%;

o Moda - o emprego em 2004 foi de 60,5% e em 2013 56,7% com a queda de -6,3%, os salários em 2004 foi de R$ 993 e em 2013 de R$ 1.412 com a alta de 42,1%.

O consumo de emprego em 2004 foi de 211,5% e em 2013 foi de 422,9% com percentual de 100,0%, já consumo dos salários em 2004 foi de R$ 3.619 e em 2013 foi de R$ 4.653 com a alta de 28,6%.

Fonte: http://www.firjan.com.br/EconomiaCriativa.