Blog



A Subsea7, líder global na entrega de projetos e serviços offshore para o setor de energia, está promovendo, em parceria com a Firjan SENAI, duas turmas, uma no Rio e outra em Macaé, para capacitação profissional em piloto de ROV. Um ROV (Veículo Operado Remotamente) é um veículo submarino, operado remotamente e que pode ser utilizado para inspeções e trabalho subaquáticos em ambientes offshore. Profissionais aptos a dirigir um ROV estão em falta no mercado de petróleo e gás.

Ao todo, estão sendo oferecidas 40 vagas, para maiores de 18 anos, independente de gênero, com escolaridade mínima técnica (Mecânica, Mecatrônica, Automação, Eletrônica e Eletrotécnica), em graduação ou já graduado em áreas afins. As inscrições devem ser feitas até o dia 05 de março no link https://firjansenai.com.br/cursorio/portal/detalhe-do-curso/cursos_02/treinamento-em-rov-veiculo-operado-remotamente. Após o fim do curso, os alunos poderão ser aproveitados no programa de trainee da Subsea7.


 Sobre o curso

O curso, que terá 40 horas e será presencial, tem como objetivo desenvolver as competências relativas à operação de veículos operado remotamente (ROVs). Os alunos participarão de atividades voltadas para a compreensão teórica dos processos referentes às técnicas de utilização, particularidades do equipamento e segurança. Ao fim do programa, o aluno que obtiver frequência mínima de 75% receberá o certificado de conclusão.

“Os alunos do curso saem com um diploma na mão e a chance de exercer uma profissão. Já as empresas ganham uma nova leva de profissionais em um cargo que sofre com a escassez há alguns anos. Todos saem ganhando. Ajudamos no desenvolvimento de cada um dos inscritos, com chance até de aproveitarmos alguns deles no nosso programa de trainee, e damos ao mercado de trabalho mão de obra qualificada para ser imediatamente aproveitada”, afirma Alessandra Nogueira, diretora de Recursos Humanos da Subsea 7.

O especialista em mergulho do Instituto SENAI de Tecnologia (IST) Solda, Frederico Ferreira Custodio, destaca a importância do equipamento na indústria do petróleo, utilizado nas operações de abertura e fechamentos de poços, manifolds, inspeção visual, ensaios não destrutivos e acompanhamentos de mergulhadores, além do uso em pesquisas arqueológicas submarinas, buscas por destroços eventuais e inspeções em obras civis, como pontes e usinas hidrelétricas. “Podemos dizer que, hoje em dia, a indústria offshore é muito dependente do ROV, que podem ser classificados em duas grandes classes: ROV de observação (Observation ROV) e ROV de trabalho (Work Class)”, explica.

Sobre a Subsea 7

Líder global na entrega de projetos e serviços offshore para o setor de energia, a Subsea7 torna possível a transição energética offshore por meio da evolução contínua do petróleo e do gás com baixo teor de carbono, permitindo o crescimento de energias renováveis ​​e emergentes.

Presente no Brasil há mais de 35 anos, a empresa conta hoje com mais de 1.400 colaboradores distribuídos em bases operacionais no Espírito Santo, nas cidades de Rio das Ostras (RJ) e Niterói (RJ), além de um escritório na cidade do Rio de Janeiro. As operações no Brasil estão divididas em duas áreas principais:

- Subsea e convencional: Engenharia, Aquisição, Construção e Instalação (EPCI), descomissionamento em profundidades variadas e contratos de PLSV;

- Vida útil no campo: IRM, reparo e manutenção, gerenciamento de integridade e serviços de suporte.